wooden-signs-balance-versus-burnout-natural-green-background-copy-space_568847-672

A importância de manter um estilo de vida saudável

Rate this post

Estilo de vida saudável reduz até 80% o risco de desenvolver doenças crônicas como: acidente vascular cerebral (AVC), diabetes, obesidade, síndrome metabólica, doenças pulmonares, lipedema e alguns tipos de câncer

As doenças do estilo de vida compartilham fatores de risco semelhantes à exposição prolongada a três comportamentos modificáveis do estilo de vida – tabagismo, dieta não saudável e inatividade física – e resultam no desenvolvimento de doenças crônicas, especificamente doenças cardiovasculares, acidente vascular cerebral, diabetes, obesidade, síndrome metabólica, doenças pulmonares, lipedema e alguns tipos de câncer.

Essas doenças são conhecidas internacionalmente como doenças não transmissíveis e crônicas, fazendo parte do grupo das doenças degenerativas. A doença crônica pode resultar em perda de independência, anos de incapacidade ou morte e impor um encargo econômico considerável aos serviços de saúde.

Hoje, as doenças crônicas são um grande problema de saúde pública em todo o mundo. Em 2005, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estimou que 61% de todas as mortes – 35 milhões – e 49% da carga global de doenças eram atribuíveis a doenças crônicas. Até 2030, espera-se que a proporção do total global de mortes devido a doenças crônicas aumente para 70% e a carga global de doenças para 56%.

  • Precisamos de programas de prevenção e controle de doenças crônicas;
  • Avaliar e monitorar a mortalidade e a proporção de adoecimento em uma área por doenças crônicas; promover uma prevenção secundária e terciária eficaz;
  • Desenvolver diretrizes para triagem, diagnóstico e tratamento de doenças crônicas com boa relação custo-benefício, com ênfase especial nos países em desenvolvimento.

“ A combinação de quatro fatores de estilo de vida saudável: manter um peso saudável, exercitar-se regularmente, seguir uma dieta saudável e não fumar, parece estar associada a uma redução de até 80% no risco de desenvolver doenças crônicas, inclusive o lipedema. Isso reforça as recomendações atuais de saúde pública para a observância de hábitos de vida saudáveis e, como as raízes desses hábitos geralmente se originam durante as fases formativas da vida, é especialmente importante começar cedo a ensinar lições importantes sobre vida saudável.

No entanto, apesar dos conhecidos benefícios de um estilo de vida saudável, apenas uma pequena proporção de adultos segue essa rotina; na verdade, os números estão diminuindo. Eu falo muito, o problema não é o lipedema e sim o que está causando a inflamação! Mas ainda tem gente que acredita que a culpa é da gordura.” explica o Dr. Daniel Benitti, cirurgião vascular médico especialista em Lipedema que atende em São Paulo, Campinas e a distância (online).

Infelizmente, há muito pouca consciência pública da associação entre saúde e estilo de vida. Muitos desconhecem que a mudança no estilo de vida é um fator importante no surgimento de doenças crônicas como causas de aumento da morbimortalidade. O estilo de vida é geralmente considerado uma questão pessoal. No entanto, estilos de vida são práticas sociais e modos de vida adotados por indivíduos que refletem identidades pessoais, grupais e socioeconômicas.

Ajustes modestos, mas alcançáveis, aos comportamentos de estilo de vida provavelmente terão um impacto considerável no nível individual e populacional. Os profissionais de saúde e a mídia agora carregam repetidamente a mensagem de que, para se manterem saudáveis, as pessoas precisam adotar comportamentos saudáveis. Atividade física, cessação do tabaco, alimentação rica em fibras e baixo teor de produtos industrializados, controle do peso corporal e aprendizado para lidar com o estresse reduzem o risco de doenças cardiovasculares, lipedema, câncer e mortalidade prematura.

Medidas eficazes de saúde pública são urgentemente necessárias para promover a atividade física e melhorar a saúde em todo o mundo. O desafio de promover a atividade física é responsabilidade tanto dos governos, quanto das pessoas. No entanto, a ação individual para a atividade física é influenciada pelo ambiente, instalações esportivas e recreativas e política nacional. Requer coordenação entre muitos setores, como saúde, esportes, política de educação e cultura, mídia e informação, transporte, planejamento urbano, governos locais e planejamento financeiro e econômico.

Precisamos mudar para não adoecer.

Para consulta e agendamento com o Dr. Daniel Benitti em Campinas, ligue para (19) 3233-4123 ou (19) 3233-7911.

Para consultas com o Dr. Daniel Benitti em São Paulo, ligue para (11) 3081-6851.

Caso prefira, entre em contato diretamente com ele via e-mail:

Leave A Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.